Coluna do Balbi: Franquias de beleza, Joilson no exterior, cana no verão do Rio e mais

Confira os principais destaques da semana sob o olhar do diretor de jornalismo Aloysio Balbi

BLOG
Por Coluna do Balbi
10 de fevereiro de 2019 - 0h01

Empreendedor

Há sempre alguém precisando do serviço de alguém. Em Grussaí, o senhor João Nogueira, de 73 anos, está faturando nesta temporada e fidelizando clientes com sua simpatia. O negócio dele está indo muito bem e o investimento foi um telefone celular e uma enxada. Em uma caixa de madeira, ele anuncia que limpa quintais e o número do telefone está bem destacado. Não adianta ligar no momento porque vai cair na caixa postal, pois seu João está com a agenda cheia.

O trauma

Campos é a cidade do Estado do Rio mais traumatizada com o rompimento de barragens de resíduos químicos por mineradoras que instalam esses depósitos próximos às suas margens ou afluentes. Ocorrências como o caso da Cataguases de Papel marcaram a cidade. Por aqui, ao contrário do que aconteceu em Minas, ninguém morreu mas a classe média deixou de considerar a água do Paraíba potável. Ninguém sabe ao certo quantas barragens existem nesta área de risco, ou seja, entre Minas Gerais, São Paulo e o próprio Rio de Janeiro. É assustador.

Joilson em Israel

O empresário campista Joilson Barcelos embarcou para Israel. Foi ver de perto uma série de projetos que podem ser aplicados na região. Joilson está interessado principalmente na tecnologia israelense de transformar a água do mar em água potável a partir de um sistema chamado auto reverso. O empresário quer saber detalhes técnicos do sistema de irrigação usado naquele país e tudo que for de tecnologia na área de produção. Espera voltar com muitas novidades.

Mudou a cor

Como essa coluna adiantou, a empresa 1001 começou a trocar as cores dos seus veículos. Sai o ônibus azul e branco e entram os veículos de cor prata. A mudança é fruto da fusão com a empresa Cometa, que agora passa a ser administrada pela 1001, cuja sede fica em Niterói. Para São Paulo já são muitos os ônibus pratas, e na linha Campos- Rio de Janeiro, eles já começam a operar.

Franquias de beleza

Campos é a cidade fora da região metropolitana do Rio de Janeiro que mais atrai franquias de médio porte. Mesmo com a cidade entupida de lojas e salões de beleza, a forte Hinode decidiu franquiar uma loja aqui. A previsão é de que até o final do ano, Campos venha a ganhar mais duas franquias de peso na área de alimentação.

Será?!!

Pode haver surpresa na política local em breve. O jovem Caio Viana, o primeiro suplente do PDT na Câmara dos Deputados pode assumir com o desenrolar das investigações que cercam o deputado Paulo Ramos, envolvido no caso da movimentação de dinheiro na Alerj identificada pelo Coaf. Pode parecer coisa remota, mas é assunto de cafezinho nos corredores e no cafezinho da Câmara dos Deputados.

Cana no verão do Rio

Gomos de cana-de-açúcar produzidas em Campos cortados dentro de um padrão técnico estão fazendo sucesso no verão carioca. Os gomos são vendidos no espetinho e custam R$ 3,00. São vendidos geladinhos. As vendas aumentaram quando um jornal de bairro do Rio publicou matéria de que os gomos da cana-de-açúcar na beira-mar são bem mais saudáveis do que os espetinhos de camarão.

Sete vidas

Como é sabido morreu o proprietário de Ao Gato Preto, o boteco mais importante de Campos. José Carlos Barbosa, que tinha como apelido “Psiu” já não está mais no meio de nós, mas reza a lenda que gato tem sete vidas e o boteco que caminha para os 100 anos vai continuar, agora nas mãos do filho de “Psiu”, Paulo Sérgio. Paulo Sérgio quer tocar o negócio mas tem uma leve contenda com o proprietário do espaço, um rico empresário de Campos que quer mexer no preço do aluguel. Ao Gato Preto é um patrimônio de Campos. O aluguel deveria até baixar. Campos não pode perder mais essa.

Antecipando

Parte do comércio de Campos decidiu antecipar as liquidações de verão, o que acontece sempre na segunda quinzena de fevereiro. São muitas as lojas que meteram a lâmina nos preços de suas mercadorias, principalmente nos setores de vestuário e calçados. Em alguns casos, os preços foram reduzidos em 60%. Os shoppings da cidade também pretendem liquidar tudo no final do mês.

Polícia Militar

São muitos os elogios da tropa ao novo comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar, Rodrigo Ibiapina, que assumiu recentemente. Entrevistado por esse semanal na última edição, o comandante refez a escala de trabalho do efetivo, que era esperada há muitos anos. Agora, os policiais terão mais descanso na escala 12 horas de trabalho por 72 de folga. Antes, eram 12 horas trabalhadas contra 48 de folga.