Rosinha e Garotinho são condenados a pagar R$ 30 mil de indenização a desembargador

Ação proposta por Zveiter é por causa de um texto publicado no blog do Garotinho

Campos
Por Redação
12 de dezembro de 2018 - 18h46

A ex-prefeita de Campos, Rosinha Garotinho (Patri), e o ex-governador Anthony Garotinho (PRP) foram condenados a pagar R$ 30 mil ao ex-presidente do Tribunal de Justiça (TJ), desembargador Luiz Zveiter por danos morais. A ação indenizatória foi proposta pelo desembargador por causa de um texto publicado no blog do Garotinho com o título “A escandalosa Operação Chequinho” em que o réu acusa o autor de crimes como constrangimento ilegal.

Além da multa, a sentença também obriga os réus a retirarem os textos alvos da ação do ar no prazo de 05 dias, sob pena de multa diária de R$ 500, limitada inicialmente em R$ 50 mil.

O texto alvo da ação foi publicado no dia 10 de setembro de 2017. Segundo Zveiter, o réu vem injuriando, difamando e caluniando o autor que alega ter sofrido abalo em sua honra, imagem e dignidade, em razão de postagem realizada pelos réus, acusando-o de crimes como constrangimento ilegal, ameaça e outros.

Outras condenações – no mês de novembro deste ano Rosinha foi derrotada em outra ação contra Zveiter. Ela foi condenada por injúria a dois meses e 20 dias de detenção, em sentença proferida pelo juiz Paulo Roberto Sampaio Jangutta, da 41ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, no dia 22 de novembro. Na ação movida por Zveiter contra Rosinha detalha que o desembargador foi injuriado em pelo menos duas oportunidades: em carta aberta à Ministra do Supremo Tribunal Federal, Carmem Lúcia, datada de 14/09/2017 e publicada no Jornal O Povo em 16/09/2017, chamando-o de “poderoso que escapou do escândalo da Cyrela, dos concursos fraudados, de acordos imorais”, de “rei Zveiter”, de “gigante transgressor da justiça” e “de braço do Sérgio Cabral no Judiciário estadual”; e também no blog do Garotinho, do dia 15/09/2017, chamando-o de “todo poderoso Zveiter” e “de homem de Cabral no Judiciário”.

Já Garotinho foi condenado pela juíza Marta de Oliveira Cianni Marins, da 23ª Vara Criminal da Capital, à pena de prestação de serviços à comunidade no período de um mês e dez dias pelo crime de injúria contra o desembargador Luiz Zveiter. De acordo com o Tribunal de Justiça, Garotinho acusou o magistrado de ter enviado um intermediário para ameaçá-lo e coagi-lo, em 2017, com o objetivo de impedir que o ex-governador o denunciasse por suposto recebimento de propina da construtora Delta.