Projeto  “Futuros do Esporte” completa um ano em Campos

Sediado no "Roxinho", mais de 100 crianças e adolescentes participam da iniciativa que também oferece apoio social e psicológico

Esporte
Por Redação
31 de agosto de 2018 - 16h54

Adolescentes que participam do projeto sonham em fazer parte do Roxinho profissional (Fotos: Divulgação)

Desde agosto de 2017, funciona no Campos Atlético Associação (Roxinho), o projeto “Futuros do Esporte”,  voltado para a prática esportiva e estruturação das categorias de base sub-15 e sub-17. O público preferencial são meninos e meninas de comunidades carentes. Além do futebol, o objetivo é promover inserção e integração social. Em um ano, mais de 100 crianças e adolescentes têm participado da iniciativa que é particular, tem patrocínio do SuperBom e, em contrapartida recebe isenção fiscal do governo estadual (Lei nº1.954/92).

Para Rodrigo Martins, idealizador do projeto, os resultados têm sido bastante satisfatórios. A cada fim de semestre, inscrições são abertas para atendermos aos meninos que jogam ou se interessam em jogar futebol profissionalmente.   “Queremos formar atletas, mas também cidadãos. Tanto é, que contamos com um núcleo social para aprendizado de informática, monitorias de atividades organizacionais”, explica.

No “Futuros do Esporte” há apoio da Obra do Salvador — entidade assistencial de Campos , de alguns empresários e o patrocínio do Grupo Barcelos que oferece aporte financeiro ao projeto. “É importante que outras empresas promovam ações sociais. Elas contam com o benefício da Lei Estadual que oferece dedução fiscal. O importante é dar chances a meninos e meninas de se ocuparem, aprenderem a ser cidadãos de bem, além do lazer e do esporte”, diz Rodrigo.

Em um ano, 110 crianças entre 10 e 13 anos de idade foram matriculadas. Testes com candidatos costumam ser feitos no início dos semestres, mas a qualquer dia da semana, a equipe do Roxinho está à disposição de pais e mães que queiram conhecer o projeto.   “Temos formação de monitores que podem auxiliar no projeto e nas competições. Neste tempo, os alunos melhoraram e evoluíram no esporte. Alguns estão sendo preparados para integrarem o time profissional. O apoio psicológico oferecido no projeto também ajuda a muitos desses garotos que são de comunidades carentes. Desejamos continuar colaborando nos próximos anos”, conclui Rodrigo Martins.