Nova eleição para Mesa Diretora

Com a saída de vereadores para concorrer a cargos de deputados, cúpula da Casa de Leis terá nova formação

Campos
Por Redação
22 de julho de 2018 - 0h01

Sessão extraordinária está marcada para esta terça (Foto: Silvana Rust)

As eleições gerais de outubro já trazem impacto sobre a Câmara de Campos. Não só as sessões ordinárias passaram a acontecer pela manhã, para que os vereadores que pretendem disputar cargos no Legislativo ou no Executivo do Estado ou da União possam cuidar de suas campanhas, como deve antecipar a eleição da mesa diretora para o biênio 2019-2020. Isso porque pelo menos dois integrantes construíram pré-campanhas e deverão se lançar à Câmara dos Deputados: o presidente Marcão Gomes (PR) e o segundo secretário Enock Amaral (PHS).

Questionada sobre a data da votação, a assessoria de Imprensa da Casa foi vaga e afirmou que a eleição ainda não foi marcada e que acontecerá “entre julho e dezembro”. O regimento interno estabelece que a eleição da mesa aconteça “até o último dia da sessão legislativa do primeiro biênio”.

Com saída de Marcão, candidato a deputado federal apoiado pelo prefeito Rafael Diniz (PPS), trabalha-se uma costura para que o líder do governo municipal na Câmara, Fred Machado (PPS), assuma a presidência da mesa.
Pelo menos uma das duas vice-presidências caberia a Abdu Neme (PR), que, embora tenha sido aliado fiel da ex-prefeita Rosinha (Patri), vem caminhando como membro da situação desde o início da atual legislatura.

Independentes

Representado na mesa diretora pelo segundo vice-presidente Jorginho Virgílio (PRP) e Enock Amaral, o grupo de vereadores que se declaram independentes, mas atuam na sustentação ao governo Rafael Diniz, deve manter cadeiras na nova composição. Talvez, até veja o número de assentos crescer.

Marcos Bacellar (PDT) seria outro dos candidatos a uma das duas vice-presidências, ao lado de Abdu. Já Igor Pereira (PSB) e Marcelo Perfil (PHS) concorreriam às secretarias. Há, ainda, as votações para a primeira e a segunda suplências.

Oposição

Como a votação é feita cargo a cargo, considerando os nomes daqueles vereadores que se dispuserem a compor a mesa diretora, é possível que a reduzida bancada de oposição se organize em torno de uma ou mais candidaturas, que venham a ganhar adesão de fora do grupo e acabem se tornando viáveis.

Todas as candidaturas serão apresentadas durante a sessão em que ocorrer a eleição da mesa. Porém, a votação do parecer do Tribunal de Contas do Estado na última quarta-feira, em que as contas de 2016 da ex-prefeita Rosinha (Patri) foram reprovadas com votos favoráveis de esperados oposicionistas do governo Rafael, como Ivan Machado (PTB), e contrário de aliados, como Jorginho Virgílio, mostra que a política está sujeita a forças capazes de virar o jogo e modificar o tabuleiro.

Contatos

Todos os possíveis componentes da nova mesa, bem como os demais vereadores, foram contatados por e-mail pela equipe de reportagem, para confirmar pretensões aos cargos. Até a última atualização desta matéria, somente Abu (PPS), Cláudio Andrade (PSDC), Josiane Morumbi (PRP) e Marcão haviam respondido.

Abu garantiu que “não concorrerá por ser pré-candidato a deputado estadual”.

Já Cláudio afirmou que “fazer parte da mesa diretora é mais do que um desejo individual. Ocorre após acordos políticos, que ainda estão em andamento”, enquanto Josiane disse que “existem muitas questões para analisar antes de apoiar algum colega, ou fazer parte da mesa diretora”.

Marcão, por sua vez, confirmou que não concorrerá a qualquer cargo na nova mesa diretora.

ERRATA

Os vereadores Cláudio Andrade e Marcão haviam respondido ao contato feito pelo Jornal Terceira Via, assim como Abu e Josiane Morumbi, mas, por um erro, suas respostas não foram incluídas na versão impressa da presente reportagem. Erro este reparado na versão online, em justiça à disposição sempre presente de prestar esclarecimentos de seus posicionamentos e ações. Um compromisso que deveria ser de todas as pessoas públicas mas que, como é possível constatar neste mesmo texto, nem todos honram.