As figurinhas estão em campo

Várias seleções foram escaladas e a busca para completar o álbum é uma febre

Esporte
Por Taysa Assis
20 de abril de 2018 - 19h22

Febre pelas figurinhas está atraindo torcedores de todas as idades (Foto: Silvana Rust)

Que este é o ano de copa do mundo da Rússia, todo mundo sabe. Que a cada quatro anos os fanáticos colecionadores ficam à espera do novo e tão famoso “álbum da copa”, também. Agora, que a cidade de Campos dos Goytacazes é a maior distribuidora de álbum e figurinhas do Norte e Noroeste Fluminense, isso você não sabia, não é?  Então, a febre em trocar figurinhas tem ganhado praças, lojas, ruas, bairros e até shoppings da cidade. Pela tecnologia cada dia mais presente, o álbum da copa do mundo, traz o que no século XXI tem sido tão difícil ver, a interação entre as pessoas, se comunicando, compartilhando e trocando ideias, pessoalmente. A copa começa no dia quatorze de junho e segue até o dia quinze de julho, até lá o que não irá faltar são figurinhas repetidas, venda, troca e a procura delas.

Nos encontros de troca de figurinhas, que tem acontecido na cidade, entre os colecionadores, o desejo é ter as de craques do Brasil, Argentina e Portugal, as mais valiosas, ou então conseguir as especiais, com formas e texturas diferentes e formadas por escudos de times e com jogadores que fizeram história em outras copas. Essas são as mais esperadas, requisitadas, conquistadas.

A procura tem sido tão grande que em uma livraria de um shopping da cidade, o álbum e as figurinhas se esgotaram. “Não esperávamos que fosse acabar tão rápido, já pedimos novas remessas e já temos lista de espera. Para chamarmos mais atenção dos colecionadores, montamos uma estrutura em frente a nossa livraria para que as pessoas possam fazer a troca ali mesmo”, relata Anderson Barcelos.

Grupos se encontram em várias partes da cidade para completar o álbum (Foto: Silvana Rust)

O livro ilustrado oficial da copa do mundo da Fifa Rússia 2018 da editora Panini é a lembrança mais duradoura do campeonato de futebol mais importante do planeta. Ele pode ser encontrado em duas versões: Capa dura ou capa cartão. Com 682 cromos ilustrados, entre eles 50 cromos especiais, com as seleções participantes, além de craques consagrados, jovens promissores e os ícones de cada equipe participante da Copa do Mundo. Um livro que passará de geração por geração.

É o caso da família de Noah Machado Ferreira, ele tem apenas três meses e nem faz ideia do que está acontecendo, mas sua família já está montando e quase concluindo o seu álbum. Isso porque, seu pai Cássio e sua avó Romilda, fizeram questão de montar e guardar para quando o Noah crescer.

“Não sou muito apaixonado por futebol, mas é uma paixão nacional. Esta é a primeira vez que eu monto um álbum da copa, porém, já para avó do Noah não. Ela sempre monta. Resolvemos unir o útil ao agradável, ele nasceu no ano da copa do mundo, 2018, um ano marcante não só pelo nascimento dele. Então, por que não fazer o seu primeiro álbum? Foi assim que pensamos e decidimos colocar em prática. Na próxima copa, ele estará esperto e entenderá um pouco, mas não serão os mesmos jogadores, a mesma fase do futebol e, por isso, achamos que seria interessante. Tenho certeza que quando o Noah crescer, ele vai adorar”. – finaliza o pai do Noah, Cássio Ferreira da Conceição.

 Distribuição no Norte e Noroeste Fluminense

Com aproximadamente quinhentos mil habitantes, Campos se tornou a cidade do Norte e Noroeste Fluminense com a maior praça, em 2018, na venda de álbuns da copa e figurinhas.  Até o momento, segundo dados da regional, foram vendidas 500 mil figurinhas ao todo. Seguida de Itaperuna, que fica na segunda colocação. A regional atende 15 municípios do Norte e Noroeste Fluminense, dentre eles, Campos, São João da Barra, São Francisco de Itabapoana, Italva, Itaperuna, Bom Jesus, Natividade, Varre Sai, Miracema, Santo Antônio de Pádua, Aperibé, Cambuci, Itaocara, São Fidélis e Cardoso Moreira. Há ainda entre os colecionadores, aqueles que dizem que a editora “Panini”, que distribuiu os produtos, limitam a distribuição das figurinhas. Segundo a gerência administrativa da regional, não existem figurinhas difíceis de encontrar, pois a produção é igual para todas. Assim que o lote chega é enviado para todos os pontos de venda.