“Estamos abertos a todos e a todas, mas não somos abrigados a compactuar com a maldade.”

por Date Moll

BLOG
Por Date Moll
10 de outubro de 2018 - 9h15

A grande dicotomia do pensamento está em justamente nas ações que muitas vezes são incompatíveis com o contexto! Se uma guerra é bárbara – principalmente quando se preconiza um desarmamento mundial, fim das ditaduras, fim da corrupção, preconceito, etc. e união dos povos – muitas guerras não são consideradas porque são alimentadas pelos próprios homens “civilizados”! As guerras da miséria, da fome, das drogas e do poder pelo poder!
Não podemos colocar “antolhos” uns nos outros! Nem muito menos mordaça! Apenas podemos deixar que a vida se encarregue de nos dar lições e nos modificar.Postem mesmo tudo o que pensam! É muito bom poder entender e enxergar as diversidades! Estamos em um mundo tão repleto de argumentos, posições e gostos e a resposta para isso tudo só o tempo vai definir…

“Toque os sinos que ainda pode tocar. Esqueça sua perfeita oferenda. Há uma brecha para tudo. É assim que entra a luz. É assim que a luz entra. Os pássaros cantam. No romper do dia. “Comece de novo…” Eu ouço eles dizendo. Não se apoie naquilo que passou ou naquilo que está por vir.” (Leonardo Cohen)

POUCAS & BOAS
As redes! Elas caem em cima dos cardumes de peixes e poucos escapam! No primeiro turno o movimento das redes sociais foi tão intenso, frenético e até decisivo que as pessoas passaram muitas horas debruçados sobre os seus celulares e computadores.

Os “fakes” também foram como pragas em plantações! Como essas publicações influenciam e despertam o lado mais “raivoso” das pessoas!

O peso das redes! Elas podem ser um instrumento de incoerência, pensamentos rasos, falta de pesquisas, modelos de repetição e preguiça de pensar…

Bonito isso! “Marielle virou semente!” Várias mulheres negras, pobres e representantes do poder feminino foram eleitas!

A ex-escrava sexual do grupo extremista Estado Islâmico Nadia Murad e o médico ginecologista Denis Mukwege ganharam o Prêmio Nobel da Paz 2018 por seus esforços para acabar com o uso da violência sexual como arma de guerra e conflito armado. O anúncio dos vencedores foi feito na manhã de sexta-feira (5), em Oslo, na Noruega.

William D. Nordhaus e Paul M. Romer foram agraciados com o Nobel de Economia de 2018. Esses dois norte-americanos dividirão o prêmio por integrar estudos sobre a mudança climática e as inovações tecnológicas com a análise macroeconômica. “Suas conclusões ampliaram significativamente o alcance da análise econômica mediante a construção de modelos que explicam como a economia de mercado interage com a natureza e o conhecimento”, destacou a academia sueca.

Limitar o aquecimento global a 1,5 °C exigirá “mudanças de longo alcance e sem precedentes” no comportamento humano, segundo um painel científico das Nações Unidas, que lançou na segunda-feira (8) um relatório especial segundo o qual algumas das ações necessárias já estão em andamento, mas precisam ser dramaticamente ampliadas.

“O curta metragem GUAXUMA, dirigido pela Nara Normande ganhou o prêmio de melhor curta documentário no Hamptons International Film Festival! Esse prêmio qualifica o filme para consideração da Academy® para disputa no Oscar.
Parabéns, Nara!!” (Antonio Luiz Baldan)

Joenia Wapichana é a primeira mulher indígena eleita para deputada estadual! Um viva para ela!

Os deputados não voltaram ao trabalho na segunda feira! E olha que era para terem retornado porque deveriam votar propostas e muitas “coisas” acumuladas! Depois eles querem cobrar do povo! Deveriam dar o exemplo e ganham muito bem para isso!

“Desenvolvimento para poucos não é desenvolvimento” Não é mesmo!

Priscila Siqueira e Gustavo Machado Rodrigues em dia de glória! Foto de M oacir Sales.

Bruna Gama e Priscilla Motta sempre belas e antenadas!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Daniele Viana anunciando um belo verão!

As mestras do flamenco Tali Sanchez e Luana Dias com as suas bailaoras!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jamile Carlos em festa!

Pietra Saramago por Binho Dutra para Paparazzi! Um espetáculo!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vamos de Bienal?