Projeto de Lei sugere consulta pública para mudar nome da BR-101

A proposta é que em vez de "Governador Mário Covas", a rodovia passe a se chamar "Trecho Presidente Nilo Peçanha"

Geral
Por Redação
12 de julho de 2018 - 14h51

Trecho urbano da Rodovia  BR-101, em Campos dos Goytacazes (Foto: Silvana Rust)

Desde 20 de junho, tramita no Congresso Nacional, mais especificamente no Senado, o Projeto de Lei da Câmara n° 43, de 2018. Trata-se de uma consulta pública que  diz respeito à alteração da Lei nº 10.292, de 27 de setembro de 2001, para incluir a denominação suplementar “Trecho Presidente Nilo Peçanha” à rodovia BR-101, localizado em todo o Estado do Rio de Janeiro. Atualmente, a estrada chama-se “Rodovia Governador Mário Covas”. O Projeto de Lei é de autoria do deputado federal, Paulo Feijó (PR-RJ). No site do Senado, alguns internautas opinaram sobre a proposta.

Até o fechamento desta edição, o PLC chamou a atenção de menos de 40 pessoas na Internet. Porém, a proposta ganhou a aprovação de 32 internautas favoráveis, e duas pessoas contrárias à alteração do nome da rodovia.  A proposta de ementa é que a BR-101 passe a ser chamada de “Trecho Presidente Nilo Peçanha” em toda a extensão fluminense da rodovia, entre as divisas do Rio de Janeiro com os Estados do Espírito Santo e São Paulo.

O Projeto de Lei da Câmara está sob os cuidados do relator, o senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) que integra a Comissão de Educação, Cultura e Esporte (Secretaria de Apoio à Comissão de Educação, Cultura e Esporte). Ainda não se sabe quando a proposta será colocada em pauta para votação.

O deputado Paulo Feijó não foi localizado para falar sobre sua proposta, mas é evidente que ele quer prestar uma homenagem cívica a Nilo Peçanha, ex-presidente do Brasil (junho de 1909 a novembro de 1910), nascido em Campos. Ele foi o sétimo presidente da República, e o primeiro fluminense a assumir o cargo. Além de Nilo Peçanha, foram presidentes nascidos no Rio de Janeiro, Washington Luis, João Figueiredo, Fernando Collor de Mello e Fernando Henrique Cardoso.

Mais informações sobre o projeto estão no endereço eletrônico do Senado Federal: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/133183