Série Orquestrando a Vida – De Santa Rosa para São Paulo: o talento do oboé

Jovem campista, depois de anos no Orquestrando a Vida, agora faz sucesso na capital paulista

Cultura
Por Ocinei Trindade
22 de maio de 2018 - 16h04

Com apenas 22 anos, o oboísta campista Derekson Feliciano Gomes já tem muita história para contar. Ele começou aos oito anos em um projeto de canto de uma escola municipal no bairro Santa Rosa, periferia de Guarus, onde morava. Em 2006, conheceu a Orquestrando a Vida. Ali, aprendeu oboé, instrumento de sopro feito de madeira e paleta dupla. Seu talento e destaque foram tantos que o fizeram integrante atual da Orquestra Jovem de São Paulo. Nos últimos anos, vivendo na capital paulista, Derekson colhe os frutos de muito esforço e dedicação à música.

Nascido e criado no Santa Rosa, bairro que enfrenta alto índice de criminalidade, Derekson Gomes é o segundo filho de três irmãos. Sua mãe é faxineira diarista e seu pai encontra-se desempregado. Contou com apoio familiar devido ao interesse por música. “As oportunidades me ajudaram a dar passos mais firmes. Meus pais não sabiam das dificuldades e exigências para estudar música. Também não reconheciam o músico como profissional, mas com o passar do tempo, isto mudou e meus pais ficaram esclarecidos”, comenta.

Derekson Gomes na “Orquestrando a Vida” conheceu de perto a missão venezuelana do “El Sistema” com prática instrumental e orquestral. “Para mim, foi de grande ajuda ter aprendido com os venezuelanos do “El Sistema”. Adquiri desenvolvimento social e intelectual, além das responsabilidades assumidas como monitor e primeiro oboé-solo da Orquestra Mariuccia Iacovino”, lembra.

Para o jovem, a Orquestrando a Vida sempre se destacou em dar oportunidade e preferência aos jovens talentos. “Eu não conheço em Campos outra instituição que realiza esse tipo de trabalho há anos. Tive a chance de fazer minha primeira viagem de avião. E olha, foi logo uma viagem internacional para a Bolívia, em 2010. Naquele mesmo ano, tive a oportunidade de viajar sozinho para a Venezuela para conhecer de perto “El Sistema” e ter um pouco mais de experiência. Em 2011, tocamos em Nova York no Carnegie Hall, em cidades vizinhas, em escolas e conservatórios americanos. Em 2013, fizemos uma turnê em Portugal”, cita.

Derekson na orquestra em São Paulo (Foto: reprodução)

Atualmente, o oboísta da Orquestra Jovem de São Paulo mantém rotina de ensaios de duas semanas consecutivas para a montagem de um programa
para concertos apresentados na Sala São Paulo mensalmente. São até cinco horas diárias de estudos individuais, além dos ensaios de orquestra das
18h30 às 22h. “Sigo estudando oboé com o professor Ricardo Barbosa da Osesp”, diz disposto e com orgulho da rotina.

Para Derekson Feliciano Gomes, o apoio ao projeto da Orquestrando a Vida, seja de incentivo empresarial ou popular, é essencial para o desenvolvimento intelectual da criança e do jovem. “Muitos até podem não prosseguir na música, mas pelo fato de terem passado pelo projeto, onde há trabalho de equipe e responsabilidade em ser um humano melhor. Assim eu me sinto depois da Orquestrando a Vida. Ela mudou a minha vida através da música”, conclui.