Mortandade de peixes polui praias de São João da Barra; veja vídeo

Problema se estende da Lagoa de Iquipari até Chapéu de Sol

Região
Por Redação
26 de abril de 2018 - 17h52

Parais amanheceram com milhares de peixes mortos (Foto: Divulgação)

A faixa de praia que vai da Lagoa de Iquipari a Chapéu de Sol, em São João da Barra, amanheceu, nesta quinta-feira (2), com milhares de peixes mortos. O motivo seria uma abertura clandestina entre a lagoa e o mar, que teria sido feita por pescadores há cerca de dois dias.

De acordo com Delcimar Rodrigues Rangel, mais conhecido como Mazinho, morador de Grussaí, esta não é a primeira vez que a lagoa é aberta de forma irregular, sem conhecimento das autoridades ambientais.

“Uma passagem foi aberta na faixa de terra que separa a lagoa do mar e, além de salinizar a Lagoa de Iquipari, que é de água doce, essa ligação clandestina fez com que o mar carregasse os peixes da lagoa. Esse crime ambiental é recorrente e nenhuma providência foi tomada”, afirmou Mazinho.

Ainda segundo o morador de Grussaí, a denúncia foi encaminhada à secretaria de Meio Ambiente de São João da Barra, que não teria dado qualquer posicionamento sobre o assunto. “Diante do descaso, formalizarei uma denúncia no Ministério Público Federal”, adiantou.

A Lagoa de Iquipari está a cerca de 3km de distância de Grussaí. Ela ocupa uma área de aproximadamente 1,4 km² e tem 10 km de extensão.

No dia 18 de março de 2017, a mesma lagoa amanheceu com milhares de peixes mortos.

A Prefeitura de São João da Barra informou, em nota, que “ao tomar conhecimento da abertura da lagoa, na noite de terça-feira (24), a Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Públicos imediatamente comunicou ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea), que é o órgão responsável pelas lagoas, e ao Batalhão Florestal. Equipes da Secretaria de Ordem Pública e de fiscalização da Secretaria do Meio Ambiente se dirigiram ao local, acompanhadas da Polícia Militar, que também foi acionada. Porém, a abertura já havia sido efetuada. Estudou-se a possibilidade de colocar equipamento para fechar a barra, mas, pelas condições físicas estarem inseguras, poderia ter risco de tombamento. A orientação do Inea é para que seja aguardado o fechamento natural. A empresa contratada para a realização dos serviços públicos está realizando a limpeza da lagoa”.

Veja o vídeo: