Guardas municipais denunciam problemas de comunicação por rádio na corporação

Agentes chegaram a comprar aparelhos portáteis para minimizar as falhas, mas não resolveu muito

Campos
Por Girlane Rodrigues
11 de agosto de 2017 - 17h16
Guarda Civil Municipal em atuação/Arquivo (Foto: Carlos Grevi)

Guarda Civil Municipal em atuação/Arquivo (Foto: Carlos Grevi)

O rádio de comunicação interna é uma ferramenta indispensável no dia-a-dia da Guarda Civil Municipal (GCM), mas em Campos, o trabalho dos agentes está comprometido pela falta desse tipo de contato.

O aparelho que funcionava acoplado às viaturas está deteriorado, pois foi instalado há cerca de oito anos e não há manutenção, de acordo com a corporação. Segundo agentes que preferiram não se identificar por medo de represálias, poucas viaturas possuem rádios portáteis, cedidos pela prefeitura, “mas a maioria dos guardas comprou com dinheiro do próprio bolso outros aparelhos para não ficarem totalmente sem comunicação”, explicou.

Porém, esses aparelhos portáteis estão funcionando apenas com transmissão de um agente para outro já que a repetidora – que tem a função de retransmitir a mensagem para todos os aparelhos conectados à mesma freqüência – também está com problemas.

Se por um lado os guardas reclamam que já é difícil trabalhar sem o porte de arma, por outro, o rádio ajudaria – por exemplo – em um pedido imediato de apoio diante de alguma emergência.  “Atuamos para garantir a ordem, segurança e a integridade das pessoas e também dos bens patrimoniais do município. Estamos sujeitos a momentos de tensão em que necessitamos de apoio. Nossa vida está em risco”, desabafou o guarda denunciante.

Em nota, a prefeitura de Campos informou que o comandante da Guarda Civil Municipal,  Wyllian Bolckau, está tomando as providências para resolver a questão da repetidora. “A corporação possui rádios e, há alguns anos, agentes optaram pela compra do seu próprio material”, finalizou.