Funcionários decidem parar serviço de limpeza pública por 48 horas em Campos

Trabalhadores da Vital Engenharia alegam falta de pagamento e demissões em massa

Campos
Por Redação
10 de agosto de 2017 - 15h13
Serviço de limpeza ficará parado por dois dias na cidade (Foto: Silvana Rust)

Serviço de limpeza ficará parado por dois dias na cidade (Foto: Silvana Rust)

Depois de um grupo de funcionários da Vital Engenharia ter sido demitido na última semana, funcionários resolveram nesta quinta-feira paralisar suas atividades por 48 horas, a partir desta sexta-feira (11), em Campos.

Segundo informações do Sindicato de Asseio e Conservação a paralisação dos trabalhadores é apoiada, já que existe um atraso de pagamento referente ao mês de julho, que deveriam ter sido liberados na segunda-feira (7), 5º dia útil, data do pagamento dos funcionários.

Anda de acordo com o sindicato, até a presente data cerca de 250 funcionários estão cumprindo aviso prévio e este número pode aumentar, chegando a 400 trabalhadores demitidos.

O Jornal Terceira Via entrou em contato com a Superintendência de Comunicação da Prefeitura de Campos para saber se há previsão de pagamento aos funcionários e sobre as demissões que estão ocorrendo. Em nota a prefeitura informou que “não recebeu comunicado oficial sobre paralisação, conforme determina a lei. Foi iniciada uma nova negociação com a concessionária Vital Engenharia Ambiental, visando reduzir despesas, sem alterar na qualidade do serviço oferecido à população. O planejamento está sendo realizado de modo que todo o sistema seja otimizado, incluindo coleta e varrição, atendendo à demanda de acordo com o número de habitantes de cada bairro. Esta redução pode girar em torno de 20% a 30%. O município tem buscado manter todas as contas em dia e desta forma são necessárias estas readequações.”

Na última quinta-feira (3), funcionários demitidos foram até o pátio da empresa, onde fizeram uma manifestação para demonstrar o descontentamento em relação às demissões.

Segundo funcionários, os primeiros a serem demitidos foram os garis de praças e jardins, já na última quarta (2) foram os garis de varrição.