Bancários de Campos vão aderir à greve geral no dia 28 de abril

Eles participaram de um ato nesta quinta-feira (20) no Calçadão do Centro para protestar contra as reformas do Governo Federal

Campos
Por Redação
20 de abril de 2017 - 13h38

Foto: Momento Verdadeiro

Os bancários de Campos vão aderir a greve geral marcada para a próxima sexta-feira, 28 de abril. Nesta quinta-feira (20), um grupo participou de uma manifestação no calçadão do Centro de Campos para notificar a população sobre a paralisação. O objetivo é protestar contra as reformas trabalhista e da previdência.

Segundo o novo presidente do Sindicato dos Bancários de Campos, Rafanele Alves Pereira, profissionais de outros setores também participarão do ato que vem sendo chamado de “Greve Geral”. “A ideia é parar o Brasil para que essas reformas não aconteçam. Estamos lutando para que os trabalhadores brasileiros não sejam prejudicados por essas medidas”, explicou.

Greve dos Bancários
O Comando Nacional dos Bancários convocou toda a categoria a participar da Greve Geral do dia 28 de abril. O movimento é uma estratégia das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo para protestar contra a reforma da previdência, a reforma trabalhista e a terceirização propostas pelo governo ilegítimo de Michel Temer e chanceladas pelos aliados dos patrões, com mandato parlamentar em andamento. Trata-se de uma iniciativa construída com o conjunto das centrais sindicais.

“Os bancários já perceberam que os bancos estão por trás das reformas que estão precarizando os empregos e as relações de trabalho no Brasil. Sabem que os banqueiros apoiaram fortemente os projetos de lei de terceirização e torcem pela aprovação do PL 6787 que pretende fazer com que o negociado prevaleça sobre a legislação. Pretendem com isso alterar jornadas, férias e outros direitos. Os bancários vão resistir. Vão aderir à greve geral e vão pressionar os deputados nas suas bases eleitorais. Quem votar contra os trabalhadores não volta para o Congresso”, prometeu Roberto von der Osten, presidente da Contraf-CUT e um dos coordenadores do Comando Nacional dos Bancários.