Campos ultrapassa meta da Rodovida, campanha para redução de acidentes

Campos já reduziu 68% dos acidentes entre 2015 e 2016. Meta era de 50%.

Campos
Por Thiago Gomes
21 de dezembro de 2016 - 20h37

Campos dos Goytacazes aderiu à Operação Integrada Rodovida Cidades 2016-2017, lançada dia 16 de dezembro pelo Presidente Michel Temer. A Polícia Rodoviária Federal (PRF),  está coordenando o trabalho que vai ganhar ações específicas nos finais de semana do Natal e Ano Novo. O objetivo da Rodovida é reduzir em 50% o número de acidentes nas rodovias até 2020. Mas Campos já está acima dessa média.

De acordo com Weber Boroto, chefe operacional da 8ª Delegacia da PRF, na cidade, entre 2015 e 2016, os acidentes com mortos e feridos na Rodovia BR-101 reduziram em 68%. Os dados compreendem 124 quilômetros de extensão da rodovia, entre a divisa dos estados do Rio de Janeiro com Espírito Santo até Serrinha.

“Essa redução se deve a alguns fatores, como a intervenção de obras públicas na pista, operações da PRF, fiscalizações no trecho e também e aumento de multas que tem deixado o motorista mais cauteloso e consciente no trânsito”, explicou.

Esse resultado colocou Campos em primeiro lugar no ranking do estado do Rio de Janeiro. O desafio, segundo Boroto, é continuar ou reduzir ainda mais essa estatística. Boroto acrescentou que as multas por ultrapassagem indevida aumentaram de R$197 para R$1.400, mais de 500%

Foto: Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

O objetivo da Rodovida é a redução dos acidentes no período de festas, férias escolares e carnaval, através da integração entre os órgãos e entidades federais, estaduais e municipais ligados ao trânsito e rodovias, com ações simultâneas e coordenadas. A operação segue até março do ano que vem, com prioridade na atuação em pontos críticos das rodovias federais. A Rodovida integra o Pacto pela Redução de Acidentes, criado pela Organização das Nações Unidas (ONU), que proclamou o período de 2011 a 2020 como a Década Mundial da Ação pela Segurança do Trânsito.

Gastos — Estima-se que o custo social de acidentes em rodovias federais no ano de 2014 foi de cerca de 12,8 bilhões de reais, de acordo com levantamentos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e da PRF. O resultado da pesquisa aponta que um acidente com morte gera um custo médio de R$ 647 mil, enquanto o acidente com vítima gera um custo de R$ 90 mil. Os acidentes sem vítimas ficam em R$ 23 mil.

Segundo a diretora-geral da PRF, Maria Alice Nascimento, o trabalho realizado pelo órgão contribuiu para a redução do número de mortos por acidentes de trânsito nas rodovias federais, gerando uma redução estimada na tendência equivalente a R$ 6,8 bilhões de reais nos últimos quatro anos. “Esse foi um resultado extremamente significativo, pois demonstra que o trabalho com diagnóstico é importante. Utilizando os recursos humanos e as tecnologias em locais estratégicos, conseguimos reduzir o número de mortes no país e quantificar isso é muito importante para nós”, destacou.

*Colaborou Girlane Rodrigues